Sunday, September 2, 2007

Renovação do Blogue

Amei ver-vos ontem no Largo de S. Gonçalo, a rirem-se às gargalhadas, felizes da vida a comemorarem os catorze aninhos do António. Bonitos, bem dispostos, despreocupados e a crescerem saudavelmente de corpo e espírito como seria de esperar de jovens da vossa idade.
Lá vieram vocês falar comigo entre risos e vocês eram mais que as mães!
Fizeram-me até lembrar da minha adolescência em que eu percorria Amarante em bando, feliz, na companhia de bons amigos que soube manter e guardar.
Nunca descurei as minhas obrigações, nunca me meti em confusões graves, e se calhar por isso mesmo posso hoje olhar para trás sem sentir um pingo de frustração e posso pensar "Como eu me diverti a fazer o que amava!" "Como foram importantes os erros cometidos para eu aprender com a vida!" Que se escoa entre os dedos se a deixarmos! Mas nós não deixamos, não é Mia?
Adolescência. Novo caminho radicalmente diferente de todos os percorridos até então. Se é a fase melhor da nossa vida? Asseguro-vos que não. Outras virão acrescentando novos cambiantes, abrindo novos caminhos, dando novas perspectivas, permitindo novas emoções.
Importante, importante...amar o ponto em que estás, Mia. Amar o ponto em que todos vocês se encontram neste momento. Eu diria até indispensável. Só assim extrairão todo o sumo que esse ponto vos pode dar e só assim o poderão absorver prazenteiramente. Não se assustem. Adolescência passada espera-vos o mundo com um leque de possibilidades com as quais eu nem sonhava da vossa idade. Agarrem-nas. Todas. A vossa vida não se compadece com oportunidades perdidas. É por isso que a Mia tem razão. A vida é aquilo que fazemos dela e com ela. Gozando-a sempre.
Uma nota final sobre sabedoria. A sabedoria não é apanágio dos velhos. Assim como a juventude não é apanágio dos novos. Tudo se resume à nossa cabeça.

Nota - Ainda bem que vos piquei sobre a pouca colaboração neste blogue durante as férias! Eu bem sei que vocês andaram muito ocupados...
Parabéns, Mia, pelo teu texto. Gostei. Gostei muito. E até me motivou este!

2 comments:

Mia said...

Obrigada! :D

A minha mãe diz que fazemos figuras tristes quando vamos ás gargalhadas na rua. Mas não lhe ligo nem um bocado. A maneira que me sinto quando estou com os amigos ás gargalhadas no meio da rua sem ligar "um puto" ao que se passa á minha volta não tem comparação. :D

bjos

Anabela Magalhães said...

Espero que continues às gargalhadas, entre amigos, onde quer que estejas, pela vida fora! É uma capacidade e um privilégio reservado a quem trabalha para isso.Lol.